Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Marcelo de Moraes

Regina toma posse sob bombardeio olavista

Vera Magalhães

Regina Duarte será oficialmente empossada na Secretaria Nacional de Cultura nesta quarta-feira. Embora a secretaria tenha perdido o status de ministério, a posse terá pompa de estrela, com direito a solenidade com muitos convidados no Palácio do Planalto.

É grande a expectativa para a gestão da atriz à frente da cultura, área envolta em controvérsias desde o início do mandato de Jair Bolsonaro. Ela compôs a sua equipe sem atender aos apelos pela manutenção ou nomeação de nomes ligados ao polemista Olavo de Carvalho, que tem bombardeado, direta ou indiretamente, por meio dos seguidores, a nova secretária.

Em novo post em sua página no Facebook, ele disse que aplaudir a nomeação de Regina foi uma “cagada” sua, “mais uma entre tantas”. “Não sei onde vou arranjar tanto papel higiênico”, afirmou.

Aplaudir a indicação da Regina Duarte parece ter sido uma cagada minha, mais uma entre tantas. Não sei onde vou arranjar tanto papel higiênico.

Publicado por Olavo de Carvalho em Terça-feira, 3 de março de 2020

Regina já tem sido chamada de “esquerdista” em postagens de olavetes, mesmo tendo sido uma das poucas artistas de proa no Brasil a apoiar Bolsonaro desde o início e de sempre ter sido crítica ao PT.

O site bolsonarista Brasil sem Medo publicou textos criticando a decisão de Regina de exonerar nomes ligados a Olavo, como Dante Mantovani, da Funarte. Foram seis os olavistas demitidos por ela.

A hashtag #ForaRegina ganhou força, partindo de apoiadores do presidente que acusam a secretária de designar “psolistas” para cargos na pasta.

A ativista paulista Clau de Luca gravou um vídeo cobrando nomeações de “esquerdistas”. “Se a senhora Regina Duarte ficar nomeando psolistas e petistas para a Secretaria de Cultura vou pedir a exoneração dela”, disse, para em seguida afirmar que nomear “comunistas” para a cultura representa “implodir o governo por dentro”. Também aventa a possibilidade de a atriz ser uma “infiltrada” nomeada para destruir o governo.