Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Relator quer diminuir crédito suplementar

Equipe BR Político

Além das reformas da Previdência e tributária, o governo federal precisa saltar mais um obstáculo no Legislativo com o projeto de crédito suplementar de R$ 248, 9 bilhões a ser votado pelo Congresso para honrar todos os seus pagamentos sem cometer crime de responsabilidade. O relator do projeto, deputado Hildo Rocha (MDB-MA), defendeu redução de R$ 2,5 bilhões na quantidade e a modificação da origem do dinheiro, informa o Broadcast Político.

Rocha promete apresentar seu parecer na Comissão Mista de Orçamento (CMO) até o início de junho. De lá, o projeto precisa ser votado em sessão conjunta do Congresso. No entanto, 21 vetos presidenciais  estão trancando a pauta. “Não adianta eu fazer o relatório e a pauta estar trancada porque tem vetos impedindo o Congresso. Então aí tem que esperar o governo, que vai ter que entrar e harmonizar”, disse o relator. Sem aprovação, os primeiros atrasos podem se dar nos subsídios ao Plano Safra 2019/2020, no pagamento do Benefício de Prestação Continuada (BPC) e aposentados do INSS e beneficiários do Bolsa Família. Segundo seu cálculos, poderiam ser excluídos do total o pagamento do Reintegra e,  quanto as origens, o superávit do Banco Central, reservas internacionais e também o pagamento antecipado da dívida do BNDES junto à União.

Tudo o que sabemos sobre:

crédito suplementarCongressoHildo Rocha