Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Renan Calheiros elogia Bolsonaro por ‘desmonte do estado policialesco’

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O senador Renan Calheiros (MDB-AL) não poupou elogios ao presidente Jair Bolsonaro por aquilo que classificou como “desmonte do estado policialesco” em outras palavras, o enfraquecimento da Lava Jato e de medidas de combate à corrupção. Em entrevista à CNN (veja o vídeo abaixo), na noite de terça-feira, 6, Renan, que disse que não faz parte da base do governo, mas que reconhece o “legado”. A rasgação de seda não caiu bem entre os apoiadores do presidente.

O senador Renan Calheiros (MDB) no plenário

O senador Renan Calheiros (MDB) no plenário Foto: Joédson Alves/EFE

“Eu entendo que o Jair Bolsonaro, para além das diferenças que nós temos, ele pode deixar um grande legado para o Brasil, que é o desmonte desse estado policialesco que tomou conta do País. E ele já encadeou várias medidas, desde o Coaf, a questão da Receita, a nomeação do Aras para a chefia do Ministério Público, a demissão do Moro. Agora, a nomeação do Kassio. Eu acho que esse é o grande legado que ele pode deixar para  Brasil, que é o desmonte desse sistema que causou muitas vítimas nos últimos anos e tentou substituir a política nacional e graças a Deus, não conseguiu”, disse.

Questionado sobre se Bolsonaro teria conseguido se eleger sem a onda lavajatista, Renan disse que atualmente, o presidente da República é adversário da operação.

“Eu acho que ele é um adversário – não sei porquê, mas não importa – desse estado policialesco, que demonstrou que tem um projeto de poder, que queria substituir a política convencional e que ele está ajudando a desmontar. Eu espero que ele continue dessa forma”, completou o senador.

Repercussão

Nas redes sociais, a hashtag #JairCalheirosBolsonaro está entre os assuntos mais comentados do País.

O Movimento Vem Pra Rua, que ajudou nas manifestações pelo impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff e eleição de Bolsonaro chamou a declaração de “nojenta”. Pelo Twitter, o grupo escreveu: “Este vídeo é simplesmente nojento! Renan Calheiros elogiando Bolsonaro pelo desmonte do combate à corrupção e da Lava Jato”.

O deputado Kim Kataguiri (DEM-SP) também se manifestou. “Esse é o relato do Renan Calheiros elogiando o Bolsonaro por destruir a Lava Jato e abandonar o combate à corrupção. Vocês dizem que eu sou o traidor mas vejam quem elogia o ‘Mito’. #JairCalheirosBolsonaro”, escreveu.

Já o deputado Eduardo Bolsonaro (sem partido) usou a rede social para mostrar que não tem muita confiança na mudança de postura de Renan. “Não é arrependimento, é espertise (sic.) de mudar de estratégia pois o plano original fracassou”, analisou.