Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Revanche como política pública

Equipe BR Político

Dois artigos nesta quinta-feira abordam, sob diferentes prismas, a questão da revanche ideológica levada ao centro da definição de políticas públicas. Em sua coluna na Folha, Mariliz Pereira Jorge opina que o viés de perseguição a quem pensa diferente tem norteado várias declarações e iniciativas de Jair Bolsonaro e de sua equipe em diferentes áreas da administração. “Bolsonaro vai passar os próximos anos governando nesse clima de revanche e, por isso, cerca-se de gente que compartilha da mesma visão limítrofe de mundo e que alimenta a guerra ideológica iniciada nos governos petistas”, escreve.

Também na Folha, o escritor Sérgio Rodrigues se concentra nas recentes controvérsias criadas pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub, para chegar a conclusão semelhante: é o sentido de revanche que pauta declarações e anúncios. “O ressentimento, ‘mágoa que se guarda de uma ofensa ou de um mal que se recebeu’ (Houaiss), é forte candidato a síntese do espírito desse tempo esquisito”,  escreve.