Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Revolta nas redes bolsonaristas com inquérito do STF

Vera Magalhães

Exclusivo para assinantes

Os perfis bolsonaristas nas redes sociais estão alvoroçados com a abertura de inquérito pelo Supremo Tribunal Federal para investigar a organização dos atos do último domingo que pediram intervenção militar, fechamento do Congresso e algo como um novo AI-5. Um deles, em Brasília, contou com a presença do presidente Jair Bolsonaro, que discursou.

O presidente Jair Bolsonaro em ato que pedia intervenção militar no domingo

O presidente Jair Bolsonaro em ato que pedia intervenção militar no domingo Foto: Gabriela Biló/Estadão

O nervosismo demonstrado por algumas figuras mostra que eles sabem que a organização dos atos deixou muitos rastros fáceis de serem seguidos numa investigação conduzida pela principal corte de Justiça do País. Como informei hoje na minha coluna do Estadão, o inquérito, relatado pelo ministro Alexandre de Moraes, deve utilizar informações já coletadas pela outra investigação comandada por ele desde 2019, que apura fake news e ameaças contra a corte.

Além disso, a CPMI das Fake News deve municiar os ministros com dados, como ocorreu na época do mensalão. Daí porque parlamentes da base governista, como Eduardo Bolsonaro, tentam impedir o prolongamento das investigações com pedidos de liminares ao mesmo STF. Mas o ministro Gilmar Mendes, que relata o pedido, deve assegurar o prosseguimento da CPMI.