Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

RioSaúde nega que nomeação de filha de Pazuello tenha relação com ministro

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Em resposta a questionamentos sobre a contratação da filha do ministro da Saúde Stephanie dos Santos Pazuello, para uma diretoria da Empresa Pública de Saúde do Rio de Janeiro S.A, a RioSaúde, pela prefeitura do Rio, a empresa afirmou nesta quinta-feira, 23, que a indicação da filha do general “não tem qualquer relação ao parentesco com o ministro da Saúde, mas sim ao fato de a profissional atender aos critérios técnicos necessários ao cargo para o qual foi admitida.”

O ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello

O ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello Foto: Gustavo Mansur/Palácio Piratini

Depois da divulgação da nomeação, o BRP entrou em contato com a RioSaúde. Em nota, a empresa rebateu as acusações de uma possível regalia à filha de Eduardo Pazuello com a nomeação e informou que a remuneração paga ao cargo que Stephanie assumirá é de R$ 7.171.

“Ela é formada em Administração, com experiência na iniciativa privada em gestão de pessoas, recrutamento e processos admissionais. É uma área que cresceu muito na RioSaúde nos últimos meses, em função da assunção de novas unidades de saúde e de oito projetos emergenciais. A profissional tem, portanto, a qualificação necessária para trabalhar e atender às necessidades da Empresa Pública de Saúde”, justifica a nota.

Segundo a empresa, o cargo de supervisor da Diretoria de Gestão de Pessoas, para o qual a filha do ministro foi indicada, foi criado na reorganização da estrutura administrativa da RioSaúde, “que extinguiu alguns cargos administrativos, substituindo-os por outros que melhor atendessem às demandas operacionais atuais da empresa pública, reforçando áreas mais exigidas diante do atual cenário de atendimento à pandemia, bem como à assunção de novas unidades de saúde, tendo como consequência o aumento dos quadros de recursos humanos. Trata-se de um procedimento comum de gestão e não houve aumento das despesas da empresa pública”, informou.