Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Risco de destruição de provas em 2017

Equipe BR Político

Na decisão em que determinou a prisão de Michel Temer e outras 11 pessoas, o juiz Marcelo Bretas usa 19 vezes o verbo “parecer” para classificar condutas da organização criminosa que seria comandada pelo ex-presidente. Ele usa um fato de 2017 para justificar o risco de destruição de provas. Ele menciona justificativas do artigo 312 do Código de Processo Penal para prisão preventiva, mas não as relaciona com o caso de Michel Temer. O levantamento consta de reportagem da Folha. O fato de 2017 foi uma busca na Argeplan, empresa do coronel João Baptista Lima, em que os funcionários da limpeza disseram que foram orientados a não deixar nada nos escritórios.