Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Risco de investimento no País fica em menor patamar desde 2010

Equipe BR Político

O custo do Credit Default Swap (CDS) do Brasil, uma espécie de seguro contra calotes que mede o risco de se investir em determinado país, chegou à mínima de 98 pontos-base nesta semana, menor patamar para o indicador desde novembro de 2010. Outros países como Rússia, Colômbia e México registraram resultados semelhantes. A queda do CDS significa maior otimismo de investidores globais com relação às economias emergentes, incluindo o Brasil, e maior confiança numa estabilização da economia mundial após o acordo comercial entre EUA e China, segundo o Valor.

As previsões de crescimento do PIB ajudaram a puxar o resultado do Brasil. Outro indicativo bom para o País foi a queda do dólar, que recuou 1,13% na segunda-feira, 16. No entanto, para o economista-chefe para América Latina do banco ING, Gustavo Rangel, a maior parte da queda tanto do dólar quanto do CDS está relacionada ao cenário externo. Segundo ele, os resultados de uma retomada mais forte do crescimento econômico nacional ainda não chegaram. “Esse movimento deve ficar mais claro a partir do segundo trimestre de 2020”, diz.