Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Maia promete segurar projeto que flexibiliza mineração

Equipe BR Político

Enquanto o presidente Jair Bolsonaro tenta apagar a história do cacique Raoni, de 89 anos, o Legislativo já indicou de qual lado pode ficar. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, afirmou na quarta, 25, que não vai pautar no plenário da Casa projetos que flexibilizem mineração em terra indígena ou permitam a ampliação da atuação de madeireiras na região amazônica, contrariando os interesses do governo e seus aliados. “Nossa intenção é que a gente possa construir projetos que sinalizem aos brasileiros e ao mundo a nossa preocupação com o meio ambiente”, disse o parlamentar.

O presidente da Câmara Rodrigo Maia em abertura de sessão

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, em abertura de sessão. Foto: Gabriela Biló/Estadão

Em visita à Câmara ontem, Raoni contestou as críticas feitas por Bolsonaro em conversa com deputados da oposição. Por outro lado, o líder do governo na Casa, Major Vitor Hugo (PSL-GO), conduzia uma comitiva adversária com Sílvia Waiãpi, secretária especial de Saúde Indígena do Ministério da Saúde. “Sou a primeira mulher oficial das Forças Armadas no Brasil. Nenhum outro governo fez isso”, bradava a secretária do governo.