Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Rui Costa entra no jogo

Marcelo de Moraes

Exclusivo para assinantes

O governador da Bahia, Rui Costa, tem se movimentado cada dia mais para se qualificar como uma opção de candidatura presidencial do PT para 2022. Com Lula inelegível, a opção mais clara dos petistas para o Planalto é a de Fernando Haddad, que já concorreu em 2018. Mas com o fortalecimento cada vez maior da ala nordestina do PT, o nome de Costa passou a ganhar força interna.

Com três anos pela frente até às próximas eleições nacionais, Costa tem assumido protagonismo à frente do Consórcio Nordeste, grupo formado pelos governadores da região em busca de investimentos externos. Também tem verbalizado suas posições políticas para ampliar sua visibilidade. “Acredito na democracia. Nas eleições, não é questão de vilanizar o adversário e sim mostrar propostas, o que países desenvolvidos estão fazendo. Nenhuma nação vai pra frente se os políticos ficarem só pensando em si primeiro. Bom trabalho de gestão pública é que traz resultados”, escreveu o governador, por exemplo, hoje na sua conta no Twitter.

Costa aposta que as eleições municipais do próximo ano já poderão marcar claramente uma divisão de águas em busca de um novo jeito de pensar o País. “O que Brasil não pode é insistir em semear ódio. Acho que 2020 vai ser divisor. Quem apoia racismo, homofobia e outros preconceitos vai ter que reafirmar seu lado, assim como quem espera que o Brasil volte a se unir. Espero em 2020 mostrar às pessoas que um novo país é possível”, escreveu.

Tudo o que sabemos sobre:

Rui CostaeleiçõesPT