Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Russomanno tem 27% e Covas 22%, aponta XP/Ipespe

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Cinco pontos porcentuais separam Celso Russomanno (Republicanos) de Bruno Covas (PSDB) na disputa pela Prefeitura de São Paulo. Pesquisa realizada pela XP/Ipespe e divulgada nesta quinta-feira, 8, mostra que o candidato apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro tem 27% das intenções de voto no cenário estimulado, enquanto o atual prefeito soma 22%. Considerando a margem de erro de 3,5 pontos porcentuais, os dois estão empatados tecnicamente.

Bruno Covas e Celso Russomanno disputam a Prefeitura de São Paulo. Foto: Divulgação/Governo do Estado de SP e Tiago Queiroz/Estadão

Essa é a segunda rodada do levantamento. Na semana passada, Russomanno tinha 24% e Covas 21%.

Na sequência, aparecem Guilherme Boulos (PSOL), que manteve 10%, e Márcio França (PSB), que oscilou um ponto para baixo, de 9% para 8%. Também pontuaram Arthur do Val (Patriota) e Jilmar Tatto (PT), que passaram de 2% para 3% cada.

Cenário espontâneo

No cenário espontâneo, quando os nomes dos candidatos não são apresentados aos entrevistados, 56% dizem não saber ou não responderam em quem vão votar. Três pontos porcentuais a menos do que na semana passada. Nessa modalidade, Covas segue sendo o mais mencionado, por 11%, seguido de Russomanno, com 8%, e Boulos, com 7%.

Segundo turno

Russomanno e Covas mantêm o empate técnico em eventual segundo turno. Aqui, no entanto, as posições se invertem e o prefeito aparece numericamente à frente, com 39% a 37%. Na simulação, ambos oscilaram dois pontos positivos em relação à semana passada. A dupla vence os rivais França e Boulos nos outros cenários testados.

Avaliação da gestão Covas, Doria e Bolsonaro

A pesquisa também avaliou a gestão de Covas à frente da Prefeitura. O grupo que considera a atual administração ótima ou boa oscilou dois pontos positivos, de 29% para 31%, e o que a descreve como ruim ou péssima caiu de 28% para 27%.

A pesquisa também mostra relativa estabilidade na avaliação do presidente Bolsonaro (ruim ou péssimo passou de 48% para 46%, e ótimo ou bom, de 28% para 26%) e na do governador João Doria (ruim ou péssimo passando de 41% para 40%, e bom ou ótimo, de 20% para 21%).

A XP/Ipespe ouviu 800 eleitores da cidade de São Paulo nos dias 5 e 6 de outubro. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número SP-05159/2020.