Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Russomanno se aproxima de olavistas investigados pelo STF

Gustavo Zucchi

Celso Russomanno (Republicanos) investiu nesta semana numa aproximação com a ala ideológica de apoiadores de Jair Bolsonaro. O movimento coincide com a queda mais acentuada do deputado nas pesquisas de intenção de votos para a prefeitura de São Paulo.

O grupo de apoiadores de Russomanno é formado por investigados no inquérito das fake news do Supremo Tribunal Federal. Na última terça-feira, em debate do Estadão entre os candidatos para a prefeitura, o candidato do Republicanos esteve acompanhado do empresário Otávio Fakhoury, que é investigado pelo STF suspeito de financiar atos antidemocráticos contra a Corte. Ele doou R$ 110 mil para campanha do parlamentar na capital paulista.

Como já mostrou o BRP, o deputado federal também teve acesso a uma matéria publicada durante o debate desta quarta-feira da Folha, assinada por Oswaldo Eustáquio, blogueiro bolsonarista que chegou a ser alvo de busca e apreensão e que ficou duas semanas preso. A reportagem, que acusa Guilherme Boulos (PSOL) de ter contratado empresas fantasmas para sua campanha, foi disponibilizada nas redes sociais apenas quando o debate já estava acontecendo.

O candidato à Prefeitura de São Paulo Celso Russomanno

O candidato à Prefeitura de São Paulo Celso Russomanno Foto: Tiago Queiroz/Estadão

O candidato ainda deu entrevista nesta quarta-feira para um site bolsonarista. A conversa foi conduzida por mais um militante investigado: o youtuber Bernardo Kuster. Russomano cancelou outros compromissos no dia, incluindo uma entrevista já três vezes desmarcada e remarcada para o BRP, alegando que gravaria uma sequência de direitos de resposta.

Nas redes sociais de Russomanno, o assunto favorito dos últimos dias são críticas às medidas de isolamento social adotadas por Bruno Covas (PSDB) em São Paulo, um tema recorrente da ala ideológica. O candidato tem atacado também as pesquisas com a vacina Coronavac, desenvolvida pelo Instituto Butantan em parceria com empresas chinesas.

Russomanno caiu nas pesquisas de intenção de voto desde que Jair Bolsonaro explicitou seu apoio a ele e apareceu mais frequentemente em sua propaganda eleitoral. O candidato despontava como líder nos primeiros levantamentos. Devido à queda, hoje ele aparece disputando a segunda colocação com Boulos e Márcio França (PSB), correndo risco de ficar de fora até mesmo de um possível segundo turno.