Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Saída do PSL seria a 9ª troca de partido de Bolsonaro

Equipe BR Político

Se o presidente Jair Bolsonaro de fato “esquecer” o PSL, fará a nona troca de sigla de sua trajetória política, de acordo com informações do Broadcast Político. A peregrinação do ex-deputado por diversas siglas da política nacional começou em 1988, quando Bolsonaro se filiou ao Partido Democrata Cristão (PDC), pelo qual se elegeu vereador no Rio de Janeiro em 1989. Em 1993, a sigla se fundou com o Partido Democrático Social (PDS) e virou o Partido Progressista Reformador (PPR), ao qual Bolsonaro se filiou.

Dois anos depois, o PPR se uniu ao Partido Progressista (PP) e virou o Progressista Brasileiro (PPB), que abrigou Bolsonaro até 2003, quando o presidente se filiou ao PTB. Nos anos seguintes, ele passou ainda pelo Partido da Frente Liberal (PFL, hoje DEM), pelo PP novamente, e pelo Partido Social Cristão (PSC), até chegar ao PSL em 2018 – mirando na eleição presidencial.

Como você leu aqui no BRP, a saída de Bolsonaro do PSL pode ser visto com certo ceticismo, principalmente considerando que o partido agora tem o segundo maior número de deputados federais e também um fundo partidário de mais de R$ 100 milhões ao ano. Mas, uma das opções para o presidente, caso decida de fato sair do PSL, pode ser a União Democrática Nacional (UDN), que já pediu registro como partido no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e quer o nome do presidente como filiado. Quem também briga para ser reconhecido na Justiça Eleitoral é o Partido Nacional Corinthiano (PNC) – mas esse, provavelmente, não entrará no radar do presidente.

Tudo o que sabemos sobre:

Presidente Jair BolsonaropartidoPSL