Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Santa Cruz vê Moro como ‘advogado pessoal’ de Bolsonaro

Equipe BR Político

O presidente da OAB, Felipe Santa Cruz, reagiu ao comentário do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, de que não o receberá até que ele “abandone a postura de militante político-partidário e as ofensas ao PR (presidente da República)”. À coluna da jornalista Mônica Bergamo, na Folha,  Santa Cruz disse ter dificuldade em acreditar na declaração de Moro.

“Tenho dificuldade em acreditar que o ministro Moro tenha dito que só recebe quem concorda com ele. Aliás, política partidária ele faz desde que era juiz em Curitiba como demonstram as reuniões realizadas antes do segundo turno com a equipe do presidente”, disse. Segundo Santa Cruz, o ex-juiz tem atuado como advogado pessoal do presidente Jair Bolsonaro. “Ele reduziu a função de ministro da Justiça à de advogado pessoal do presidente. Isso sim é política partidária. Ele não age como ministro de Estado, mas apenas como ministro de governo”, completou.

Quem também comentou a ofensiva de Moro contra o presidente da OAB foi o ex-ministro da Justiça José Eduardo Cardozo, que considerou um erro a postura adotada pelo auxiliar de Bolsonaro.

Cardozo lembra que chegou a receber os maiores adversários da então presidente Dilma Rousseff, que inclusive defendiam o impeachment dela —como os senadores Aécio Neves e Antonio Anastasia. “Só não recebi o Bolsonaro (que na época era deputado federal) porque ele nunca pediu audiência”, afirma Cardozo.