Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

‘São otários que ficam soltando pombinha, botando cruz na areia da praia’

Gustavo Zucchi

Como percebeu que não adiantará tentar negociar decretos de Garantia de Lei e Ordem (GLO) em troca da aprovação de uma lei que garanta o excludente de ilicitude, Jair Bolsonaro partiu para o ataque. O assunto, que já havia sido citado em sua “paradinha” na porta do Palácio do Alvorada, voltou a aparecer em sua “live” nas redes sociais. E o presidente não deixou de ofender quem é contrário à medida. “São otários que ficam soltando pombinha, botando cruz na areia da praia”, afirmou. “Vem essa turminha dos direitos humanos e fica fazendo carga em cima do garoto”, disse.

No caso o “garoto”, não é nenhum dos filhos do presidente e sim os membros das Forças Armadas que participariam  das operações. “Esse garoto está com um fuzil no peito, em uma área urbana. Quem colocou ele lá? Eu coloquei”, disse, classificando como “uma irresponsabilidade” a condenação de até 30 anos para soldados que praticarem homicídios.

Tudo o que sabemos sobre:

Jair BolsonaroExcludente de ilicitude