Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Secom inova: PIB privado x PIB público

Vera Magalhães

A Secretaria de Comunicação da Presidência resolveu inovar os conceitos econômicos para justificar o baixo crescimento de 2019: dividir o Produto Interno Bruto em PIB público e PIB privado. Foi uma forma de encontrar algum dado positivo no PIBinho de 1,1%, mas a peça publicitária provocou reações de economistas e analistas.

“PIB = Consumo + Investimento + Gastos do Governo + Saldo da Balança Comercial. Alternativamente: PIB = soma dos salários, lucros, juros e alugueis. Não existem os conceitos “PIB Privado” e “PIB Público” – mas vou tentar cunhar o conceito “Pedalada intelectual”. É esse aqui”, escreveu no Twitter o economista Gabriel Brasil, ao retuitar a peça da Secom.

O duplipensar bolsonarista tenta subverter até a mais elementar das identidades contábeis PIB privado x PIB público é o equivalente a 2 + 2 = 5 na obra de ficção de Orwell que transformarmos em documentário por aqui”, escreveu o também economista Alexandre Andrada, da UnB.

Mas agora falando sério porque preciso calcular projeções aqui. Aquele PIB praça de alimentação de shopping entra no PIB privado ou PIB público quando quem tá almoçando é funcionário do governo?”, ironizou o economista e professor visitante da Universidade de Chicago Pedro Amaral.

O Ministério da Economia chancelou a ideia, por meio de uma nota informativa da Secretaria de Política Econômica editada na segunda-feira que referenda no título, mas não no corpo do texto, o uso dos conceitos questionados por economistas de diferentes instituições e matizes.

Dentro do ministério, já havia causado mal-estar a diferença de reações entre o secretário do Tesouro, Mansueto Almeida, que se disse preocupado com o baixo crescimento e disse que não é normal um País como o Brasil crescer tão pouco, e o ministro Paulo Guedes, que tentou minimizar a importância do dado negativo.