Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Secom rebate informações sobre gastos com publicidade

Equipe BR Político

A Secom rebateu os números apresentados em reportagem do UOL e da Folha que indicam que o gasto do governo com publicidade cresceu nesses três primeiros meses e de que a Record teria recebido a maior fatia da verba publicitária em 2019. Em nota, a Secom diz que a avaliação feita pela matéria está errada por usar como base os pagamentos referentes a investimentos feitos pelo governo de Michel Temer, porém só pagos no primeiro trimestre desse ano, já na gestão de Bolsonaro. “Essa explicação foi dada exaustivamente à reportagem durante a apuração de dados, mas os veículos insistiram na interpretação parcial do relatório financeiro disponível no site da Secom”, informa a nota.

De acordo com a Secom, os gastos feitos no primeiro trimestre, referentes ao governo Bolsonaro, totalizaram o valor real de R$ 13,3 milhões para a campanha da Nova Previdência, “uma economia de 60% em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram investidos R$ 33 milhões. Desse total, a TV Globo foi o veículo que mais recebeu pedidos (R$ 1,9 milhão), seguida do SBT (R$ 1,4 milhão) e, por fim, a Record (R$ 1,2 milhão), segundo plano de mídia técnica feita pelas agências licitadas pela Secom”, explica o texto.