Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Secretário de Guedes diz que grupos exercem ‘direito de expressão’

Vera Magalhães

O secretário Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos Da Costa, divulgou nota para comentar sua presença em grupo de WhatsApp, batizado de Mkt Bolsonaro, em que o empresário Otavio Fakhoury afirmou que pretende custear caminhões de som para o ato em defesa do governo previsto para o dia 15 de março.

Na nota, Costa informa que “faz parte de diversos grupos de mensagens com centenas de participantes e que todos os integrantes desses grupos exercem seu direito de expressão de forma livre e democrática”.

“Em relação ao grupo em questão, o secretário esclarece que ele foi formado no ano de 2018 com pessoas interessadas em acompanhar o andamento da campanha do nosso Presidente Jair Bolsonaro. Como é comum acontecer com os grupos em redes sociais que continuam ativos mesmo após alcançado o objetivo inicial, a participação do secretário tem se resumido à divulgação pontual das ações da SEPEC para melhorar a produtividade e o emprego no Brasil”, diz a nota, divulgada por meio da assessoria da pasta.

“O secretário Carlos Da Costa tem a missão de melhorar as condições de geração de emprego, a produtividade e a competitividade no Brasil, e é parte do seu trabalho divulgar as ações feitas pela sua equipe que geram resultados positivos para o país. Ainda sobre o grupo citado na reportagem, ele informa que sua última postagem foi realizada em dezembro de 2019, quando foi sancionada a nova lei de informática”, segue o texto.

Tudo o que sabemos sobre:

Carlos da Costawhatsapp