Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Secretário de Witzel, André Moura também é alvo de busca da PF

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Secretário da Casa Civill do governador Wilson Witzel, o ex-deputado federal André Moura (PSC-SE) também teve sua casa em Aracaju (SE) inspecionada pela Polícia Federal com mandado de busca e apreensão no âmbito da Operação Tris in Idem, que faz buscas em seis Estados e no Distrito Federal e tenta prender 17 pessoas. Um dos presos é o presidente do partido de Moura, Pastor Everaldo, bem como seu filho, Filipe Pereira, o ex-secretário de Desenvolvimento Econômico do Rio, Lucas Tristão, e o ex-prefeito de Volta Redonda Gothardo Lopes Netto. O secretário de Witzel não se encontrava em casa. Moura foi líder do governo Temer na Câmara dos Deputados, em 2016.

André Moura. Foto: André Dusek/Estadão

Presidente estadual do PSC em Sergipe, Moura assumiu a Secretaria da Casa Civil em setembro de 2019. Deputado federal por dois mandatos, foi um dos principais aliados de Eduardo Cunha.

Entenda a denúncia

Witzel foi afastado do cargo por decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e foi denunciado, junto com a mulher e mais sete pessoas, por corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa envolvendo empresas ligadas à área da saúde. A denúncia aponta pagamentos feitos por empresas ligadas a Mário Peixoto, preso na Lava Jato, e pela empresa da família de Gothardo Lopes Netto, ex-prefeito de Volta Redonda (RJ), ao escritório de advocacia da primeira-dama Helena Witzel, que “foi utilizado para escamotear o pagamento de vantagens indevidas ao governador, por meio de contratos firmados com pelo menos quatro entidades da saúde ligadas a membros da organização criminosa e recebimento de R$ 554.236,50, entre agosto de 2019 e maio de 2020”.