Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Segundo Waldery, governo considera prorrogar renda emergencial

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O secretário especial da Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, afirmou nesta sexta-feira, 22, que o governo planeja manter o auxílio emergencial, mas com valor inferior aos R$ 600 que são pagos hoje, em entrevista à Globonews. Segundo o secretário, a ideia é usar o valor médio de pagamento do Bolsa Família, que é de R$ 200 ao mês. O Congresso já se movimenta para encontrar fontes para prorrogar o benefício.

O secretário especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues

O secretário especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

“Dados os benefícios (do auxílio emergencial), tanto diretos como indiretos, o ministro (Paulo Guedes) chegou a comentar uma referência nesse caso que é o Bolsa Família, que tem um tíquete médio de R$ 200 por mês”, disse Rodrigues. “De todas as medidas que o governo já tomou, o auxílio emergencial é o que tem mais impacto fiscal, a gente estima em R$ 51,5 bilhões”, acrescentou. “O impacto de mais de R$ 50 bilhões por mês é muito elevado. Por exemplo, é o dobro do Bolsa Família para todo o ano”, disse.