Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Segundona de obstáculos para votação no Senado

Equipe BR Político

Ao menos dois obstáculos se levantam, com ou sem tuíte do presidente Jair Bolsonaro a seu favor, contra a votação da MP 871 que caduca nesta segunda, 3, e se propõe a combater fraudes em pagamentos do INSS: quórum de votação no Senado e desarticulação política do governo. A previsão do líder do governo na Casa, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), é de presença mínima de 41 dos 81 senadores no plenário por volta das 17h30 desta segunda, 3, informa o Broadcast Político.

As bancadas do PSD e do PT cogitam, no entanto, não registrar presença na sessão até que o governo consiga levar os 41 senadores para plenário e viabilizar o início da deliberação. “Vamos para Brasília, mas, por nós, não vai ter quórum. Se aprovar como está essa medida provisória, não precisa aprovar a reforma da Previdência para acabar com aposentadoria rural e benefício assistencial”, disse o líder do PSD, Otto Alencar (BA) ao Broadcast Político. Uma das resistências no texto é a exigência de que trabalhadores rurais estejam em um cadastro nacional para ter acesso à aposentadoria rural, aumentando os critérios de comprovação para o benefício. Se algum ponto for alterado, o texto voltaria para a Câmara – o que praticamente eliminaria a chance de aprovação do texto no prazo.

 

Tudo o que sabemos sobre:

MP 871senado