Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Sem corrupção, EUA investiriam mais no Brasil, diz secretário

Equipe BR Político

O Brasil, se quiser atrair investimentos estrangeiros, precisa fazer a lição de casa do combate à corrupção. Essa é a avaliação do Secretário de Comércio dos Estados Unidos, Wilbur Ross. Na terça-feira, 26, ele escreveu no Twitter que a quantidade de investimentos entre Brasil e Estados Unidos cresceria muito caso o País conseguisse reduzir a corrupção.

“As empresas americanas têm um estoque total de IED (investimento estrangeiro direto) no Brasil de impressionantes US$ 71 bilhões. Fico satisfeito em ver que reduzir a corrupção é uma prioridade. Se essa questão puder ser resolvida, o montante de investimento entre nossos países iria crescer dramaticamente”, disse ele, sem especificar se se tratava de corrupção no setor público ou privado.

Na última segunda, Ross presidiu, ao lado do ministro da Economia, Paulo Guedes, o Fórum de CEOs Brasil-Estados Unidos, em Washington. Em outra mensagem, ele teceu elogios à política econômica do governo brasileiro.

“Estamos satisfeitos de ver quão seriamente o presidente Jair Bolsonaro está lidando com questões estruturais que impedem o crescimento, especialmente a aprovação recente da reforma da Previdência, e a intenção de enviar uma nova lei tributária ao Congresso até o fim do ano.”