Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Sem ‘vitória absoluta’

Equipe BR Político

O colunista William Waack analisa em sua coluna no Estadão o equilíbrio de força dos Poderes neste atual momento em que o Executivo não conta com uma uma coalizão no Legislativo. Este, diz, representado pela dupla Maia-Alcolumbre, apoia agendas de governo, não o governo propriamente, o que traz riscos para a governabilidade.

“O presidente brasileiro preserva um poder imenso de ditar agendas políticas, mas é evidente a rapidez com que diminui sua capacidade de se afirmar sem uma base sólida no Congresso. Bolsonaro pode achar (como indica que está achando) que é capaz de levar adiante seus planos mesmo à frente de um governo minoritário. No caso da reforma da Previdência, porém, é bom lembrar que os presidentes das casas legislativas abraçaram a agenda reformista, e não foi o caso na questão das armas”, escreve.

Tudo o que sabemos sobre:

LegislativoRodrigo MaiaDavi Alcolumbre