Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Senadores de esquerda desestimulam novos protestos, mas PT apoia

Gustavo Zucchi

Exclusivo para assinantes

Um grupo de senadores de esquerda, liderados por Randolfe Rodrigues (Rede-AP), está tentando desestimular novos protestos contra Jair Bolsonaro no próximo final de semana. O motivo é o crescimento da pandemia de coronavírus. O grupo emitiu uma nota, explicando que “não é hora de ir às ruas”.

“Nosso pedido parte da avaliação de que, não tendo o país ainda superado a pandemia, que agora avança em direção ao Brasil profundo, saindo das capitais e agravando nos interiores, precisamos redobrar os cuidados sanitários e ampliar a comunicação com a sociedade em prol do distanciamento social”, afirmam. “Adiaremos à ida às ruas, pelo bem da população, até que possamos, sem riscos, ocupá-las, em prol da população.”

A nota conta com a assinatura do vice-líder do PT no Senado, Jaques Wagner (BA). Só que a sigla, em posicionamento oficial com a assinatura da presidente do partido, Gleisi Hoffmann, e do líder no Senado, Enio Verri, se colocam como favorável às manifestações marcadas. “Considerando as condições impostas pela pandemia, recomendamos que os participantes das manifestações observem da melhor maneira possível, as medidas recomendadas pela OMS, como uso de máscaras e o distanciamento social”, afirmam.

Confira a nota do grupo de senadores:

Os líderes dos diferentes partidos do Senado Federal, a saber a Rede Sustentabilidade, o PSB, o PDT, o Cidadania, o PSD e o PT, vem através desta nota desencorajar os brasileiros que, acertadamente, fazem oposição ao Sr. Jair Bolsonaro a irem às ruas nesse próximo domingo.

Nosso pedido parte da avaliação de que, não tendo o país ainda superado a pandemia, que agora avança em direção ao Brasil profundo, saindo das capitais e agravando nos interiores, precisamos redobrar os cuidados sanitários e ampliar a comunicação com a sociedade em prol do distanciamento social.

Bem certo que a organização de setores da sociedade aqueceu nossos corações de esperança, na certeza de que o Brasil já identificou que a política da presidência da república tem sido devastadora ao país e aliada do Coronavírus. Adiaremos à ida às ruas, pelo bem da população, até que possamos, sem riscos, ocupá-las, em prol da população.

Ademais, observando a escalada autoritária do governo federal, devemos preservar a vida e segurança dos brasileiros, não dando ao governo aquilo que ele exatamente deseja, o ambiente para atitudes arbitrárias.

Entendemos, portanto, que ainda não é o momento, em respeito às famílias de vítimas do Coronavírus e também daqueles que até hoje tem respeitado e com razões, baseado nos melhores estudos científicos, o isolamento como a melhor alternativa de combate à Covid-19. Continuaremos firmes na oposição das mais diversas formas que a situação pandêmica nos permite.

Assinam,

Randolfe Rodrigues, líder da Oposição e da Rede Sustentabilidade do Senado Federal.

Eliziane Gama, líder do Cidadania no Senado Federal.

Weverton Rocha, líder do PDT no Senado Federal

Jaques Wagner, vice-líder do PT no Senado Federal.

Veneziano Vital do Rego, líder do PSB no Senado Federal.

Otto Alencar, líder do PSD no Senado Federal.