Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Senadores discutem sinais de crise institucional

Vera Magalhães

Uma reunião na última semana passou quase despercebida. Enquanto na Câmara os sinais de estresse na relação entre o governo e os deputados eram dados nos microfones do plenário, no Senado um grupo restrito de senadores se reuniu na residência oficial da presidência para discutir sinais de crise institucional com a convocação de manifestações que têm o parlamento como um dos alvos.

O grupo reunido por Davi Alcolumbre contou com os apoiadores de sua candidatura à presidência da Casa e alguns outros que lhe fizeram oposição. Dos 14 participantes, só Espiridião Amin (PP-SC) destoou do tom de pessimismo ao dizer que não vê razões para se ver quebra de institucionalidade e que avalia que as reformas passarão facilmente e serão aprovadas. Temas como uma emenda que estabelecesse recall ou parlamentarismo foram levados à mesa. Para descontrair, os presentes brincaram com José Serra (PSDB-SP) que ele, que vivera todas as crises desde 1964, deveria situar os presentes sobre a gravidade dos atritos entre os Poderes. Tasso Jereissatti (PSDB-CE) emendou: “O Serra é testemunha ocular desde o suicídio de Getúlio!”. Ao final, ficaram de manter o fórum e que Alcolumbre deve manter a parceria com Rodrigo Maia (DEM-RJ) em defesa do parlamento e contra qualquer manifestação do Executivo que exorbite suas prerrogativas. / Vera Magalhães