Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Moro vai a Fortaleza para acompanhar GLO

Equipe BR Político

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, chegou à cidade de Fortaleza, no Estado do Ceará, nesta segunda-feira, 24, para acompanhar as ações de segurança que ocorrem em decorrência dos motins de policiais militares. “Temos que colocar a cabeça no lugar”, afirmou depois de sobrevoar a capital cearense. O ministro se reuniu com o governador Camilo Santana (PT) para discutir ações de segurança junto ao ministro da Defesa, Fernando Azevedo, que já estava na cidade para acompanhar a operação de Garantia de Lei e Ordem no Estado.

“Pensar o que é necessário daqui em diante para solucionarmos essa crise específica, para os policiais poderem voltar a realizar o seu trabalho. Esse é o ponto”, disse Moro na manhã desta segunda.

Os ministros Sérgio Moro e Fernando Azevedo e o advogado-geral da União André Mendonça sobrevoam Ceará. Foto: Alexandre Manfrim/Ministério da Defesa

Os motins policiais começaram por falta de acordo dos PMs com o governo do Estado quanto à reestruturação salarial. Durante entrevista coletiva no Palácio da Abolição, sede do governo do Ceará, o ministro afirmou: “O governo federal veio para permitir que o governo (estadual) possa resolver essa situação sem que nesse lapso temporal a população fique desprotegida”.

O decreto que instituiu a GLO foi assinado na quinta-feira, 20, pelo presidente Jair Bolsonaro, atendendo a pedido do governador depois que o senador licenciado Cid Gomes foi baleado em Sobral, quando tentou furar um bloqueio de amotinados com uma retroescavadeira. Nesta semana, o Estado recebeu 300 agentes da Força Nacional e de 2.500 do Exército.

Pelo Twitter, o ministro Sérgio Moro disse no sábado, 22, que “é tempo de superar a crise e serenar os ânimos” na publicação em que anunciou a ida à capital cearense.

O Ceará tem enfrentado uma crise na segurança desde o dia 18, quando iniciaram as paralisações de policiais e já registrou 147 homicídios desde então.