Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Serra: ‘É inadmissível a morosidade do Executivo quanto a decisões elementares’

Marcelo de Moraes

Exclusivo para assinantes

O senador José Serra (PSDB-SP) criticou a lentidão que o governo tem demonstrado na hora de tomar providências necessárias por causa do coronavírus. O ex-ministro da Saúde citou, por exemplo, o fato de o presidente Jair Bolsonaro ainda não ter sancionado até agora o projeto de sua autoria, que destina R$ 2 bilhões para Santas Casas e hospitais filantrópicos.

O senador José Serra

O senador José Serra Foto: Pedro França/Agência Senado

“É inadmissível a morosidade do Executivo quanto a decisões elementares. Há 16 dias, o Congresso aprovou meu projeto que destina R$ 2 bilhões às Santas Casas e hospitais filantrópicos e até agora não foi sancionado. Por que essa demora em assinar uma medida essencial para salvar vidas?”, questionou Serra nas suas redes sociais.

As críticas de Serra também se dirigem ao  comportamento do presidente a respeito da política de isolamento social.

“Na sessão de ontem do Senado com o ministro da Saúde, Nelson Teich, questionei a posição do governo federal, inclusive do Presidente da República, em relação ao isolamento social, que tem sido errada e equivocada. O governo precisa ser parte da solução e não o problema”, disse.

“Estamos vendo notícias de que os leitos de UTI da rede pública já estão com capacidade esgotada ou em vias de se esgotar nas regiões mais afetadas. Questionei ao ministro Teich quais as soluções para o aumento da capacidade da rede pública e quais ações estão sendo tomadas”, acrescentou Serra.

“Além disso, sugeri ao ministro da Saúde que contrate parte dos leitos livres da rede privada para integrá-los à regulação pública, de forma a garantir o acesso da população a esse recurso tão escasso e tão vital para salvar vidas”, afirmou.