Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Corrida contra o tempo pela aposentadoria

Equipe BR Político

Todo mundo já ouviu o relato de algum parente que deu entrada no processo de aposentadoria querendo fugir das novas regras do sistema previdenciário. Pois é, essa corrida contra o tempo provocada pelo avanço da reforma da Previdência no Congresso fez com que um número de funcionários nunca antes visto no serviço público do Poder Executivo entrasse com pedidos de aposentadoria. A debandada é tão atípica que não encontra paralelo recente no funcionalismo federal. Em apenas sete meses, mais de 24 mil servidores pediram o benefício, de acordo com dados do Ministério da Economia.

Reforma da Previdência ocasiona aumento de pedidos de aposentadoria

Mais de 24 mil servidores entraram com pedido de aposentadoria em sete meses Foto: Fabio Motta/Estadão

Número assim só foram observados durante as discussões da reforma no governo FHC. Entre 1995 e 1998, a média de pedidos no Executivo ficou em 27,5 mil ao ano, com um pico de 36,8 mil em 1995, ano de envio da proposta que acabou virando a primeira grande mudança nas regras de aposentadoria do País, segundo o Estadão. De acordo com o secretário especial adjunto de Gestão, Desburocratização e Governo Digital, Gleisson Rubin, quase 70% das aposentadorias concedidas neste ano são de servidores de nível fundamental ou médio, muitos ocupantes de cargos que já estão em processo de extinção.

Esse movimento converge com o aumento da despesa de benefícios previdenciários em 2020. A previsão é de um crescimento maior que em anos anteriores, de acordo com a proposta orçamentária apresentada na sexta-feira, 30, pelo governo. No próximo ano, o gasto vai aumentar R$ 51,8 bilhões. Passando de R$ 630,9 bilhões previstos para este ano para R$ 682,7 bilhões no próximo ano. O déficit previsto para 2020 é de R$ 244,3 bilhões.