Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Setor de Transporte sofreu retração de 9% em março

Marcelo de Moraes

Exclusivo para assinantes

Análise técnica feita pela Confederação Nacional do Transporte (CNT) mostra que o setor de Transporte sofreu uma forte retração em março no seu volume de serviços por causa dos efeitos da pandemia do coronavírus. Segundo os dados da Pesquisa Mensal de Serviços, do IBGE, a retração do mês chegou a 9% e foi a segunda maior já registrada na série histórica. Ela ficou atras apenas do mês de maio de 2018 quando houve a paralisação dos caminhoneiros e a retração do setor foi de 9,5%.

Transporte aéreo foi o mais atingido pela queda da atividade

Transporte aéreo foi o mais atingido pela queda da atividade Foto: Hannah McKay/Reuters

Pela análise da CNT, a expectativa é que esse resultado ainda pode piorar, já que a queda de março ainda reflete apenas o período do início dos efeitos da pandemia no Brasil.

“Esperamos um cenário ainda mais crítico a partir da coleta de dados de abril. Esses primeiros números refletem apenas o início da crise no setor”, afirma o presidente da CNT, Vander Costa.

O transporte aéreo acabou sendo o mais atingido pela queda da atividade. Ele sofreu uma retração de 27,5%, o que equivale a pior já registrada em toda a série histórica. No transporte terrestre, a queda foi de 10,6%.

Tudo o que sabemos sobre:

cnttransporteIBGEretraçãoEconomia