Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Sindicatos apresentam queixa contra Bolsonaro em Haia

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Mais de 50 sindicatos de trabalhadores da área de saúde brasileiros, com apoio de uma coalizão de entidades internacionais,  apresentaram ao Tribunal Penal Internacional de Haia uma representação contra Jair Bolsonaro. A informação foi dada pelo jornalista Jamil Chade em seu blog no UOL.

A representação contra o presidente brasileiro foi protocolada neste domingo. O tribunal costuma receber centenas de denúncias do gênero por mês, e a decisão a respeito de se a corte aceita as representações e abre processos costuma levar meses. A moção contra Bolsonaro foi apresentada à procuradora-geral do TPI, Fatou Bensouda.

Na representação, os sindicatos acusam Bolsonaro de crime contra a Humanidade pela condução de seu governo ao enfrentamento à pandemia do novo coronavírus. Já havia sido apresentada uma denúncia ao mesmo hospital por genocídio contra os povos indígenas. Segundo Chade, desde 2019 a diplomacia brasileira sob Bolsonaro já foi alvo de mais de 35 denúncias em diferentes fóruns globais.

A possibilidade de que o Bolsonaro viesse a responder por genocídios em tribunais internacionais foi aventada pelo ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, no início de julho, e provocou reação acalorada das Forças Armadas, pelo fato de o magistrado ter dito que, caso isso aconteça, o Exército poderia ser denunciado junto.

Os sindicatos de profissionais de Saúde acusam o presidente de dolo nas ações que levaram o Brasil a ter um dos maiores números de casos e mortes por covid-19 no mundo. “A omissão do governo brasileiro caracteriza crime contra a humanidade – genocídio. É urgente a abertura de procedimento investigatório junto a esse Tribunal Penal Internacional, para evitar que dos 210 milhões de brasileiros, uma parcela possa se salvar das consequências desastrosas dos atos irresponsáveis do senhor Presidente da República”, diz o texto, de acordo com a reportagem do UOL.