Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Sindicatos perderam quase 1 milhão de associados em 2019

Marcelo de Moraes

Exclusivo para assinantes

Houve queda expressiva no ano passado em relação ao número de trabalhadores associados a sindicatos. De 2018 para 2019, 951 mil trabalhadores deixaram de fazer parte de sindicatos. Os dados fazem parte do suplemento Características Adicionais do Mercado de Trabalho 2019, da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) Contínua, divulgada nesta quarta-feira, 26, pelo IBGE

Integrantes do Sindicato dos Trabalhadores, incentivados pela Central Única dos Trabalhadores (CUT) Foto: Gleidson Santos/Estadão

Desde a aprovação da reforma trabalhista, ainda no governo de Michel Temer, os sindicatos têm perdido seus filiados e a tendência é que esse processo prossiga.

Segundo esse levantamento, no ano passado, trabalhadores associados a sindicatos representavam 11,2% da população ocupada do País (10,6 milhões de pessoas). No ano anterior, esse índice era de 12,5%.

Os dados divulgados pelo IBGE apontam que “mais da metade dessa queda (531 mil pessoas) ocorreu no grupamento administração pública, defesa e seguridade social, educação, saúde e serviços sociais. Com esse recorde na série histórica iniciada em 2012, pela primeira vez o grupo saiu da primeira posição no ranking das taxas de sindicalização, ficando atrás da agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura (18,4% contra 19,4%)”.

Além disso, “a taxa de sindicalização dos empregados no setor público caiu de 25,7% em 2018 para 22,5% em 2019”, segundo o IBGE. 

Tudo o que sabemos sobre:

sindicatosreforma trabalhistaIBGE