Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Papa critica ‘colonização ideológica’ de povos indígenas

Equipe BR Político

Em seu discurso inicial do segundo dia do Sínodo da Amazônia, o papa Francisco criticou o que classificou de “colonização ideológica” dos povos indígenas da região amazônica. O pontífice afirmou que a sociedade ocidental deve se aproximar dessas comunidades “na ponta dos pés, respeitando sua história, sua cultura, seu estilo de bem viver”, e deve também controlar o impulso de “domesticar os povos originais”, o que foi feito pela Igreja Católica no século 16 no Brasil, por exemplo.

Papa Francisco e o cardeal brasileiro dom Cláudio Hummes no Sínodo dos Bispos Sobre a Amazônia

Papa Francisco e o cardeal brasileiro dom Cláudio Hummes no Sínodo dos Bispos Sobre a Amazônia. Foto: Andreas Solaro/AFP

Em seu discurso, o papa reforçou o respeito à religiosidade dos índios. “Fiquei triste ao ouvir, aqui mesmo, um comentário sarcástico sobre um homem devoto que levou ofertas com penas na cabeça. Digam-me: qual é a diferença entre ter penas na cabeça e o chapéu tricórnio usado por certos responsáveis em nossos dicastérios?”, questionou.

Em 2015, o pontífice a pediu perdão pelas ofensas e crimes cometidos pela Igreja Católica aos povos indígenas da América Latina durante a colonização do continente.

O Sínodo dura até o dia 27 de outubro, e tem a Amazônia como tema nesta edição. Como você leu aqui no BRP, um dos representantes brasileiros presentes na reunião católica é o presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), d. Walmor Oliveira de Azevêdo.