Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

STF decide hoje futuro de investigações

Vera Magalhães

O STF decide nesta quarta-feira o futuro das investigações que tenham como base relatórios da Unidade de Inteligência Financeira (nova configuração do Coaf) e da Receita Federal compartilhadas sem autorização judicial prévia. A depender da decisão da corte, a investigação sobre as movimentações atípicas de Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro, que levam a transações não explicadas com o próprio senador e outros integrantes da família, como a primeira-dama Michelle Bolsonaro, podem ser anuladas, lembra reportagem do Estadão.

Na minha coluna desta quarta, trato deste julgamento e antecipo que ele deve ser o último polêmico do STF neste ano: ministros me dizem que chega de temas “traumáticos” por 2019, o que significa que o pedido de suspeição de Sérgio Moro pode ficar para o ano que vem, ou nem sequer voltar à pauta. Também mostro as tentativas de se chegar a alguma solução que limite o acesso a dados do ex-Coaf e da Receita, mas sem inviabilizar investigações.