Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

STJ manda soltar Pezão

Equipe BR Político

A sexta turma do STJ acatou nesta terça-feira, 10, o pedido de habeas corpus da defesa do ex-governador do Rio de Janeiro Luiz Fernando de Souza Pezão, que estava preso desde novembro de 2018. O tribunal determinou que, ao invés da prisão preventiva, Pezão deverá cumprir uma série de medidas cautelares, como uso de tornozeleira, proibição de manter contato com outros réus acusados no mesmo caso e proibição de deixar o Estado.

Como informa o Estadão, Pezão é acusado de integrar um esquema de propina que, segundo a Lava Jato, lhe rendia repasses mensais de R$ 150 mil durante o período em que foi vice-governador de Sérgio Cabral (MDB), entre 2007 e 2014. Segundo a ex-procuradora-geral da República, Raquel Dodge, que encaminhou petição pedindo a prisão do ex-governador, havia registros documentais do pagamento em espécie a Pezão de mais de R$ 25 milhões no período de 2007 a 2015, o que equivaleria a cerca de R$ 40 milhões atualizados.

A defesa do emedebista afirma que a prova para sua prisão era baseada fundamentalmente no relato de delatores e que, até hoje, não foi provado o suposto recebimento de propina. “Afirmou-se que ele seria beneficiário de R$ 40 milhões, mas após um ano de prisão não se encontrou joias, absolutamente nada, constatou-se que ele tem uma vida comum”, disse o advogado José Eduardo Cardozo.

Tudo o que sabemos sobre:

STJLuiz Fernando PezãoLava Jato