Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Subprocurador defende a liberdade ‘dos militares dos 80 tiros’

Equipe BR Político

O Estadão deste domingo, 5, traça o perfil do subprocurador-geral da Justiça Militar, Carlos Frederico de Oliveira, que defende a liberdade dos “militares dos 80 tiros”. Descrito como rígico e conservador, a reportagem conta que Carlos Frederico votou no presidente Jair Bolsonaro no primeiro e segundo turno da última eleição. Carioca, ele admite que ficou chocado com o episódio em que militares fuzilaram com 83 tiros o veículo onde estava o músico Evaldo Rosa dos Santos.

Apesar do espanto, o subprocurador escreveu um parecer – de cinco páginas – pedindo o fim da prisão preventiva dos nove militares presos após a morte de Evaldo e do o catador de material reciclável Luciano Macedo no mês passado. “As pessoas estão muito assustadas, porque foi um caso gravíssimo, mas prisão preventiva é outra história. Se eles (os militares presos) soubessem que aquele carro era de pessoas que não eram bandidas, eles não fariam isso. Os caras não saíram de casa para matar os outros”, diz o subprocurador.