Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Superlotação de presídios agrada a presidente

Equipe BR Político

Com a terceira população carcerária no mundo em números absolutos, atrás de EUA e China, o Brasil atingiu em junho de 2019 a marca de 773 mil presos, um avanço de 3,89% em relação a dezembro de 2018. Desse contingente, 33% cumprem pena provisória, ou seja, sem condenação. Outro dado divulgado pelo Ministério da Segurança é o déficit de vagas: há 461.026 para os 773 mil. “Não temos muitos presos no Brasil, temos poucas vagas para eles (…) A questão da superlotação no Brasil é um problema histórico. O foco do Depen (Departamento Penitenciário Nacional) é a abertura de vagas, a retomada de controle (das cadeias) e que preso trabalhe”, afirmou do diretor-geral do Depen, Fabiano Bordignon.

O presidente Jair Bolsonaro comemorou os números. “Significa 3,89% a menos de bandidos levando terror à população”, escreveu ele nesta manhã de sábado, 15, no Twitter.

 

Tudo o que sabemos sobre:

superlotaçãoPresos