Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

De superministros a ministros normais

Equipe BR Político

O governo não precisou nem mesmo da “ajuda” da oposição para transformar seus outrora superministros Paulo Guedes e Sergio Moro em ministros normais. As pautas que eles enfrentam, no entanto, dívida, na Economia, e crime, na Segurança Pública, seguem na categoria “super”.

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, e o ministro da Economia, Paulo Guedes

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, e o ministro da Economia, Paulo Guedes. Foto: Wilton Júnior/Estadão

“Uma parte importante dos problemas políticos que os dois – agora normais – ministros enfrentam está no fato de o chefe do Executivo utilizar de forma precária e errática uma de suas maiores ferramentas de poder: a de determinar a agenda da própria política”, avalia o colunista William Waack, em artigo no Estadão.

A falta de uma base sólida e organizada no Congresso também contribuem para criar ainda mais dificuldade na atuação de Paulo Guedes e Sergio Moro. Ambos têm patinado em suas pautas principais. Deles, não se pode cobrar que sejam expertos em articulação política em apenas nove meses de governo. Já se sabia de antemão que lhes faltava essa experiência. “O que não se calculava é que o Executivo fosse ser supererrático”, aponta Waack.