Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Suplente de Flávio Bolsonaro pode sair do PSL para ficar com Witzel

Marcelo de Moraes

A decisão do PSL fluminense de retirar seu apoio ao governo de Wilson Witzel (PSC) pode provocar pelo menos uma baixa importante no partido no Rio. Leonardo Rodrigues, atual secretário estadual de Ciência e Tecnologia, não pretende entregar o cargo depois da decisão de rompimento, liderada pelo senador Flávio Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro. Rodrigues admite que pode deixar o PSL.

Leonardo Rodrigues, secretário estadual de Ciência e Tecnologia do Rio, não pretende sair do governo de Wilson Witzel

Leonardo Rodrigues, secretário estadual de Ciência e Tecnologia do Rio. Foto: Octacílio Barbosa/Alerj

Se isso for confirmado, a decisão ganha mais peso político, já que Leonardo é justamente o segundo suplente de Flávio. O primeiro suplente, Paulo Marinho, já deixou o PSL e se filiou ao PSDB.

Outras dissidências podem ocorrer, já que alguns dos principais líderes do PSL do Rio têm cargos estratégicos no governo Witzel. O PSL possui, inclusive, mais uma pasta, com a deputada federal Major Fabiana comandando a Secretaria de Vitimização e Amparo à Pessoa com Deficiência.

A retirada de apoio a Witzel foi decidida por Flávio Bolsonaro depois que o governador reafirmou que pretende disputar o Planalto, possivelmente contra a tentativa de reeleição de Jair Bolsonaro. Agora, pode provocar efeito inesperado nos quadros do PSL.