Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Marcelo de Moraes

Tabata quer que funcionários da Educação também tenham prioridade em vacina

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

A deputada Tabata Amaral (PDT-SP) está tentando incluir funcionários da Educação na lista de prioridades de uma possível campanha de vacinação contra o coronavírus. A parlamentar apresentou um PL que altera a lei que trata do enfrentamento da pandemia para equiparar professores e outros trabalhadores do setor com médicos, enfermeiros e demais profissionais da Saúde.

“A oferta inicial das vacinas não conseguirá atender à grande demanda mundial, o que já vem gerando concorrência para a sua aquisição, em uma disputa entre governos estaduais e municipais, além de entidades privadas. Por esse motivo, é preciso regulamentar a forma como a distribuição dessas vacinas deve ser feita à população, para que interesses meramente econômicos ou conveniência e alianças políticas não tenham vez em detrimento dos benefícios ao cidadão”, pontua a deputada.

“Pensamos sempre nas vidas perdidas pela Covid em termos de saúde, mas a não educação leva a uma morte lenta. O Brasil segue, em muitas localidades, sem aulas presenciais, sendo um dos países há mais tempo sem aulas no mundo. Não estudar tem um impacto profundo na vida das crianças e jovens, pois diminui sua renda ao longo da vida e até quantos anos eles vivem”, completou.

O projeto da parlamentar ainda trata de obrigatoriedade de “critérios técnicos” para distribuição e doses e destinação de recursos para que Estados e municípios possam comprar o imunizante. Os critérios seriam defindos por dados demográficos, epidemiológicos e sanitários como tamanho da população, percentual da população imunizada contra covid-19, participação percentual dos grupos vulneráveis no total da população, dentre outros.