Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Tarcísio: Tabela do frete deve ter ‘morte natural’

Equipe BR Político

Em jantar com jornalistas e empresários em Brasília, na terça-feira, 6, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, defendeu o fim da tabela do frete. Tarcísio afirmou que a medida é uma “aberração” e disse que deveria ocorrer uma abolição gradual da tabela. “Também não adianta chegar um governo novo e falar que amanhã não tem mais tabela. Não pode ser assim”. A medida foi instituída pelo presidente Michel Temer após a greve dos caminhoneiros em 2018, e estabelece um valor mínimo para o serviço de transporte. Na visão do ministro, não há risco de nova greve.

Segundo o Broadcast Político, a tabela do frete é alvo de Ações Diretas de Inconstitucionalidade no STF, propostas pela Associação do Transporte Rodoviário de Cargas do Brasil (ATR Brasil), pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). As associações alegam que a medida fere o princípio da livre concorrência e livre iniciativa. “Imagino que o Supremo deve estar com medo: se eu decido pela inconstitucionalidade, será que o Brasil para amanhã?”, afirmou Freitas, que defende, no lugar da tabela, a elaboração de “vários acordos” entre os caminhoneiros e os agentes de cada setor da economia. “Mas se dissermos que não vai ser surpresa e todo mundo já sabe mais ou menos o preço que será praticado? E aí fazemos renascer a cultura da livre negociação, que é um coisa que existia e perdemos.”