Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Confira relatório da reforma apresentado por Tasso

Equipe BR Político

A tramitação da reforma da Previdência tem tido um desenrolar tranquilo, até aqui, no Senado. A proposta deu mais um passo nesta quinta-feira, 19, quando o relator no Senado, Tasso Jereissati (PSDB-CE), apresentou à CCJ seu novo parecer que rejeitou 76 das 77 emendas apresentadas à proposta ao longo da tramitação na Casa. Dessa forma, se mantém a projeção de economia de R$ 876,7 bilhões para os próximos dez anos.

O relator da reforma da Previdência no Senado, Tasso Jereissati (PSDB-CE)

O relator da reforma da Previdência no Senado, Tasso Jereissati (PSDB-CE). Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

A única a ser acatada beneficia o funcionalismo público. Ela retira do texto o ponto que obrigava os servidores que entraram antes de 2003 a contribuírem por 35 anos, no caso dos homens, e 30 das mulheres, para ter direito à totalidade de gratificação por desempenho.

De acordo com a presidente da CCJ no Senado, Simone Tebet (MDB-MS), a Casa pode concluir a votação da reforma da Previdência no dia 10 de outubro e a comissão deverá discutir e votar o parecer  na próxima terça, 24. “O calendário que muitos não acreditavam que seria mantido, continua valendo”, disse. Resta saber, no entanto, se a operação contra o senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE) tem potencial para causar tumulto na articulação do governo com o Congresso.

Tebet designou ainda o senador Tasso para a relatoria da chamada PEC paralela, que chegou hoje à CCJ. Até agora, a proposta já possui 189 emendas. De acordo com a senadora, o relator só irá apresentar seu parecer à proposta depois que a Casa concluir a votação do texto da reforma principal.