Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Tatto tem que caminhar com as próprias pernas, diz Lula

Alexandra Martins

Exclusivo para assinantes

O ex-presidente Lula reiterou nesta quarta, 7, que o PT está disposto a fazer parte de uma frente ampla de forças políticas para combater o bolsonarismo somente se os demais partidos assumirem o compromisso de “recuperarem os direitos dos trabalhadores”, citando exemplos de alianças já feitas pelo partido com representantes da direita, como o apoio do PT ao então candidato Mário Covas (PSDB) no segundo turno da eleição paulista em 1994.

Candidato à Prefeitura de São Paulo, Jilmar Tatto (PT) Foto: Divulgação

Segundo disse em sabatina ao El País, não dá para formar um bloco partidário “sem saber o que vai passar com o povo pobre”. “Só tem sentido se for para devolver ao povo trabalhador os direitos que tiraram dele”, reforçou. Lula minimizou sua pouca empolgação com a candidatura de Jilmar Tatto (PT) à prefeitura de São Paulo, dizendo que cabe ao candidato, e não a ele próprio, arrancar na disputa. “Quem tem que ganhar as eleições é o Jilmar. Ele tem que se preparar, preparar o discurso, a narrativa que ele quer contar para convencer o povo de São Paulo, os petistas, a votarem nele. O que poderemos fazer é ajudar. Mas a responsabilidade em qualquer lugar do mundo é do candidato”, afirmou

O ex-presidente considerou “um luxo” a capital paulista ter quatro candidatos da ala mais progressista, em que pese Marcio França (PSB) flertar com o bolsonarismo, reforçando mais uma vez a importância maior dada pelo partido ao segundo turno da disputa municipal, uma vez que Guilherme Boulos (PSOL) “é um amigo”.

 

Tudo o que sabemos sobre:

LulaFrente amplaeleiçãoJilmar Tatto