Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

TCU deve analisar pedido de suspensão do auxílio emergencial

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O subprocurador-geral junto ao Tribunal de Contas da União (TCU), Lucas Rocha Furtado, apresentou na quinta-feira, 2, um pedido à presidência da corte de contas, para que suspenda a prorrogação, por mais dois meses, do auxílio emergencial de R$ 600 mensais, até que o governo apresente estudos e dados que demonstrem que a liberação dos recursos não afetará o equilíbrio fiscal do País.

Fila para receber o auxílio-emergencial, que acaba em junho Foto: Dida Sampaio/Estadão

O anúncio da prorrogação foi feito no último dia 30. A promessa do governo é de pagar um total de R$ 1.200 aos beneficiários. A extensão do auxílio foi bem recebida no Congresso.

O movimento de Furtado trata-se apenas de um pedido, sem qualquer efeito prático. Ele solicita que sejam avaliadas as medidas necessárias para apurar a legalidade de critérios técnicos que “justifiquem a prorrogação indiscriminada do auxílio emergencial” e que verifique se o socorro financeiro que tem desempenhado um papel fundamental na vida de dezenas de milhares de pessoas “não colapsará desnecessariamente o equilíbrio fiscal do País”.

Na representação, Furtado destaca que “não defende o fim do auxílio emergencial”. Caberá ao TCU decidir se acata ou não a solicitação do MP/TCU, informou o Broadcast Político.