Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

TCU vai auditar número de militares no governo

Gustavo Zucchi

Exclusivo para assinantes

Em decisão unânime, o plenário do Tribunal de Contas da União decidiu que a Corte irá apurar o número de militares da ativa e da reserva que possuem cargos civis no governo de Jair Bolsonaro. A proposta aprovada pelos ministros fala da recente preocupação de uma militarização excessiva do Executivo.

A ideia da Corte é fazer um comparativo com os três últimos governos: Lula, Dilma Rousseff e Michel Temer. Pelas contas feitas recentemente pelo site Poder 360, são 3 mil militares em cargos civis na estrutura dos Três Poderes, sendo mais de 92,6% deles no Executivo.

Na última segunda-feira, em entrevista para o Roda Viva da TV Cultura, o ministro Luís Roberto Barroso também expressou preocupação com o excesso de militares na estrutura do governo Bolsonaro.  Destacando que as Forças Armadas não “podem se identificar” com o Executivo da vez. “Isso é o que aconteceu na Venezuela. Isso é a ‘chavização’. Porque quando você multiplica militares no governo, eles começam a se identificar com o governo e começam a se identificar com vantagens e com privilégios. Isso é um desastre. Isso não pode acontecer”, afirmou.