Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Tebet ‘indignada’ com corporativismo no Senado

Equipe BR Político

Na semana em que o corporativismo fez a reforma da Previdência de refém e que movimentações do presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), geraram críticas por tumultuar a reta final da tramitação da proposta, a presidente da CCJ na Casa, Simone Tebet (DEM-MS), se diz indignada com o fato de uma pauta interna ter prevalecido em detrimento de outra que impacta toda a população.

“A minha indignação é que prevaleceu uma pauta interna, corporativa, em detrimento de uma pauta de país (Previdência). O fortalecimento do Senado é a porta de saída para a crise. Sabemos como a Câmara funciona. Não dá para trabalhar com 500 e tantos. Tem o centrão. Se você enfraquece o Senado perante a sociedade, enfraquece a democracia”, disse em entrevista ao Globo.

Na avaliação da senadora, que tem recebido críticas positivas pela forma como conduz as discussões na comissão, Alcolumbre tenta agradar aos pares e ao Planalto. “Davi procura agradar a todos, e não adianta. Você não serve a dois senhores. São duas agendas antagônicas. Não vão se encontrar nunca. Onde um lado tiver, o outro não estará”, diz.

A postura de Tebet sobre os movimentos recentes do presidente do Senado escancaram os ares da Casa depois da operação da PF contra o senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), líder do governo.