Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Teich ainda não compôs equipe

Vera Magalhães

Exclusivo para assinantes

Em meio à subida vertiginosa de casos do novo coronavírus, o ministro da Saúde, Nelson Teich, tem seu primeiro encontro de prestações de contas para a Câmara nesta quarta-feira sem ter composto ainda a equipe técnica da pasta.

O ministro da Saúde, Nelson Teich

O ministro da Saúde, Nelson Teich Foto: Dida Sampaio/Estadão

Sua única medida, e, no caso, determinada pelo Planalto, foi substituir o número dois do ministério, João Gabbardo, pelo general Eduardo Pazuello. Mas a letargia administrativa na pasta é tal que a nomeação do general e a exoneração de Gabbardo só foram publicadas no Diário Oficial nesta quarta-feira.

Os demais secretários de Luiz Henrique Mandetta, demitido há duas semanas, prometeram permanecer nos postos até dia 4 de maio, para facilitar a transição e o fluxo de informações sobre o combate à covid-19. Mas nomes como Wanderson Oliveira, o secretário de Vigilância em Saúde, podem ser instados a permanecer para que não haja uma ainda maior perda de continuidade nas ações.

A avaliação interna colhida pelo BR Político é que Nelson Teich é “preparado” e “bem intencionado”, mas estaria “perdido”na condução da crise provocada pela pandemia. Além disso, auxiliares apontam um problema de comunicação do novo ministro: ele seria muito mais firme e articulado em reuniões fechadas, mas “trava” quando tem de dar explicações públicas, como em entrevistas, o que é considerado fatal diante do quadro de uma pandemia em que se tem de ter prestação de contas diária e mudanças muito rápidas de procedimentos de acordo com o avanço dos casos.

Tudo o que sabemos sobre:

Nelson TeichequipeMinistério da Saúde