Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Tempo curto para a PEC Emergencial

Equipe BR Político

Às vésperas do recesso de final de ano no Congresso, o governo não tem certeza se conseguirá aprovar a PEC Emergencial, que estabelece gatilhos para cortes de gastos públicos em caso de situação de crise fiscal, avaliou há pouco o secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, em entrevista à Rádio CBN, nesta segunda-feira, 11.

“Isso não está certo, se conseguiríamos em um tempo tão curto, de seis semanas, aprovar essa medida”, pontuou o secretário.

Mesmo assim, até pontos que podem sofrer maior resistência, como a autorização para que os governos reduzam carga horária e salários de servidores em até 25%, não devem encontrar resistência para serem aprovados a partir de 2020. Na avaliação do secretário, o debate que acontecerá no Congresso Nacional deve mostrar que há necessidade das medidas.

Em relação a uma possível mobilização da oposição contra as reformas, potencializada pela liberdade do ex-presidente Lula, Mansueto diz não acreditar que isso possa se viabilizar .

“Numa democracia, a gente não pode ter medo de debate, se um político ‘A’ ou ‘B’ é a favor ou contra as reformas. Quanto mais debate tivermos, mais saberemos se a sociedade como um todo é a favor ou contra uma reforma”, pontuou.

Tudo o que sabemos sobre:

Mansueto AlmeidaPec emergencialLula