Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Tereza Cristina descarta possibilidade de desabastecimento

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, descartou a possibilidade de que a crise provocada pelo novo coronavírus cause desabastecimento pelos mercados e feiras do País. A possibilidade foi levantada nesta quarta-feira, 1, depois de o presidente Jair Bolsonaro divulgar um vídeo falso sobre o esvaziamento de um Ceasa em Minas Gerais. A publicação foi apagada na sequência. Segundo a ministra, neste momento, somente a paralisação dos caminhoneiros poderia causar o esvaziamento.

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina Foto: Adriano Machado/Reuters

“O desabastecimento no Brasil só ocorrerá se nós não tivermos o transporte funcionando”, afirmou a ministra, em entrevista ao Estadão. “A nossa preocupação hoje, o tempo todo, é trabalhar para que tenha fluxo. Eu falo sobre isso o tempo todo. Na manhã de hoje eu fazia uma conferência com produtores de arroz do sul do País. O que eles me pediram: ‘por favor, não deixe os caminhões pararem’, porque eles pegam o produto lá e levam embora, mas precisam voltar, para buscar novamente”, disse.

Segundo a ministra, o governo está dialogando com lideranças dos caminhoneiros. O entendimento até agora é de que não há nenhum movimento de paralisação geral. “A negociação com os caminhoneiros está andando”. O Ministério da Infraestrutura tem identificado problemas pontuais de transporte, mas não enxerga nenhuma possibilidade de paralisação dos caminhoneiros.

Abastecimento em São Paulo

O governador João Doria (PSDB) afirmou há pouco que “não há nenhum desabastecimento em São Paulo e nenhuma perspectiva de desabastecimento” nos supermercados, feiras e na Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp). “Nem no abastecimento de alimentos, nem nos produtos de higiene, limpeza ou qualquer outra natureza”, disse Doria.