por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Teste de fogo para Paulo Guedes

Marcelo de Moraes

Depois de adiar sua participação na sessão da semana passada na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, o ministro da Economia, Paulo Guedes, deve encarar os deputados na próxima quarta-feira para falar sobre a reforma da Previdência. O ministro já sabe que vai enfrentar um clima pesado por lá. Guedes desistiu de falar aos deputados na semana passada porque calculou – com razão – que ficaria exposto na CCJ aos ataques da oposição e aos ressentimentos de parlamentares magoados com o tratamento recebido do Planalto. Preferiu se poupar e escapou das pedradas.

Na superfície, o acordo de procedimentos em torno da condução política da reforma dentro do Congresso, fechado pelo ministro com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, que deixou Jair Bolsonaro de fora dessas negociações, fez com que a gritaria contra o governo diminuísse. Mas as queixas contra o Planalto ainda estão todas no mesmo lugar. Na semana passada, Guedes falou aos senadores e acabou perdendo a paciência em alguns momentos mais tensos, como nas perguntas feitas pela senadora Kátia Abreu (PDT-TO). Na CCJ, vai ser como se Guedes precisasse encarar umas 50 situações desse tipo. Se for bem, Guedes poderá consolidar uma nova e forte relação com os deputados. Se o caldo entornar, as consequências são imprevisíveis. /M.M.

Tudo o que sabemos sobre:

Paulo GuedesCCJ