Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

The Economist: ‘Bolsonaro se autoisolou, mas da maneira errada’

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Em mais uma reportagem sobre o governo brasileiro, a revista inglesa The Economist afirma que em meio à pandemia do novo coronavírus, o presidente “Jair Bolsonaro se autoisolou, mas da maneira errada”. A matéria foi publicada no site da revista na quinta-feira, 9. Por causa da matéria, o nome da publicação foi parar entre os assuntos mais falados do Twitter brasileiro, nesta sexta, 10.

Foto: Lo Cole/ The Economist

“O tratamento imprudente do presidente brasileiro dado à Covid-19 voltará para assombrá-lo”, previu a publicação, salientando que, mesmo para seus padrões, a violação de seu dever principal de proteger vidas foi “longe demais”. E acrescentou: grande parte do governo o trata como um parente difícil, que mostra sinais de insanidade. A publicação destaca que o papel assumido pelos governadores dos Estados em decretar o isolamento social usando seus próprios poderes. E lembra que Bolsonaro inventiva os brasileiros a ignorar tais medidas.

O texto citou que, aos poucos, os governantes de todo o mundo fizeram as pazes com a ciência médica e que apenas quatro continuam negando a ameaça à saúde pública representada pelo coronavírus. Dois foram apresentados como “destroços da antiga União Soviética”, os “déspotas” da Bielorrússia e do Turquemenistão. O terceiro é o ditador da Nicarágua Daniel Ortega. “O outro é o presidente eleito de uma grande democracia, ainda que maltratada”, completou, salientando que o enfraquecimento feito por Bolsonaro aos esforços de seu próprio governo para conter o vírus pode marcar o início do fim de sua presidência.

Tudo o que sabemos sobre:

the economistJair Bolsonarocoronavírus